Os conceitos e pré-conceitos sobre a meditação

Afinal, o que vem a ser e, principalmente, como é realizada a meditação? Seria manter a mente vazia? Focar o pensamento em algo? Várias são as interpretações e conceitos sobre a ela. A maioria das pessoas, imagina a meditação com sentar como um Buda e esvaziar a cabeça… outra parte, acredita que é ficar contemplando mentalmente uma imagem bonita. Outros ainda, preferem crer na meditação como sendo algo que necessite de muito treino, durante muito tempo. Mas será que é isso mesmo? Se você quer realmente saber, todas as alternativas estão corretas!

De acordo com o “Michaelis – Dicionário Brasileiro da Língua Portuguesa”, “meditar é a reflexão profunda acerca de um assunto, conflito ou objeto; concentração do espírito que prepara a mente para a contemplação, conjunto de processos mentais com o intuito de se desligar do mundo material, a fim de acalmar a mente e estabelecer uma relação com elementos divinos”.

No “Dicionário Básico de Filosofia” encontra-se a seguinte definição: “Meditação. Do latim mediatio, reflexão. 1. Exercício religioso de reconhecimento interior pelo qual alguém se abstrai (se ausenta) do mundo exterior e, fazendo silêncio, concentra seu pensamento em Deus e nas coisas espirituais.” 2. Descartes(René Descartes – filósofo, físico e matemático francês – 1596-1650) descreve a meditação como sendo a “atividade reflexiva do sujeito pensante permitindo-lhe desembaraçar-se das falsas opiniões para melhor atingir uma verdade”. 3. Kant (Immanuel Kant, filósofo alemão – 1724-1804) diz: “Por meditar, entendo refletir ou pensar metodicamente”.

Por analogia, o termo é utilizado em filosofia (sobretudo desde as Meditações Metafísicas de Descartes) para evocar uma reflexão específica, e durável, cujo objetivo é alcançar uma verdade livre das opiniões comuns.

Em artigo publicado no Portal Namu, os yoges acreditam que “meditação geralmente se refere ao esforço de esvaziar a mente de todos os pensamentos e aumentar gradualmente a duração desse estado”.

Estamos hoje vivendo um cenário bastante diferente dos vividos até anteriormente: inseguranças, medos, ansiedades, direito de ir e vir cerceado, e, muitas vezes, a solidão. Estes podem ser sentimentos que perpassam por nós, sem que tenhamos sequer consciência dos mesmos, sem perceber que “estamos alterados”.

E agora “o mundo parou”! Estamos em casa, ou pelo menos a grande maioria das pessoas, e temos que encarar essa nova realidade. Muitos de nós, sem nem sequer nos darmos conta, ou mesmo, sem nos conscientizarmos disso tudo que se passa dentro de nós. E o que fazer com eles (sentimentos), se muitas vezes não sabemos como detectar, lidar, enfrentar, viver e conviver com os mesmos? Será que há algo que podemos fazer para que tudo isso se reverta em nosso benefício, em benefício do nosso corpo e da nossa mente, bem como em benefício dos outros? Pois, se estamos bem, tudo melhora ao nosso redor. Podemos aproveitar essa “reclusão” para nos conhecermos mais, melhorarmos internamente e nos tornarmos uma melhor versão de nós mesmos?

Através da meditação, podemos desenvolver uma melhor concentração, além de trazer maior tranquilidade e foco. Mas como tudo o que nos traz benefícios, em primeiro lugar, ela deve se tornar uma rotina em nossas vidas, como beber água ou nos alimentarmos diariamente. Não só o nosso corpo necessita de alimento, nosso espírito também (sem conotação religiosa, mas simplesmente pensando em ciência). A física quântica, por exemplo, explica cientificamente a existência dos corpos sutis, corpos formados de não matéria.

O alimento do corpo é sólido, tem sabor, odor, textura, podemos vê-lo e senti-lo. Mas o alimento do “espírito” é sutil, ou seja, é constituído de energias e fluídos, algo invisível aos olhos, ouvidos, nariz, boca… Mas que, muitas vezes, sentimos através da pele, como aquele arrepio que vem do “nada”. Deixo aqui algumas técnicas para você pesquisar ou aguardar a próxima publicação, quando explicarei cada uma delas: foco,Mindfulness, Meditação Transcendental, Meditação Cristã, Raja Yoga, Meditação Chakra, Trataka, Kundalini Yoga, Zazen, Vipassana, Hare Krishna, Kriya Yoga ou Meditação do Terceiro Olho, Meditação Tântrica, entre outras.

The following two tabs change content below.

Rosana Rodrigues

Coach pela Sociedade Internacional do Mindset, Pedagoga com pós- graduação em Psicopedagoga Clínica e Institucional pela FATEC (Faculdade de Tecnologia, Ciências e Educação), Especialização em Educação com Enfoque em Aprendizagem e Linguagem na UNAR (Centro Universitário de Araras “Edmundo Ulson”). Professora/coordenadora (rede pública de Guarulhos), aposentada ainda atuando, coordenadora de eventos escolares (escola particular). Terapeuta de Homeostase Quântica Informacional (em formação), Ativista Quântica (Quantum Academy). Autora da coleção Cochicho Caligrafia e revisora de 4 livros de autor brasileiro.

Latest posts by Rosana Rodrigues (see all)

Post Author: Rosana Rodrigues

Coach pela Sociedade Internacional do Mindset, Pedagoga com pós- graduação em Psicopedagoga Clínica e Institucional pela FATEC (Faculdade de Tecnologia, Ciências e Educação), Especialização em Educação com Enfoque em Aprendizagem e Linguagem na UNAR (Centro Universitário de Araras “Edmundo Ulson”). Professora/coordenadora (rede pública de Guarulhos), aposentada ainda atuando, coordenadora de eventos escolares (escola particular). Terapeuta de Homeostase Quântica Informacional (em formação), Ativista Quântica (Quantum Academy). Autora da coleção Cochicho Caligrafia e revisora de 4 livros de autor brasileiro.

1 thought on “Os conceitos e pré-conceitos sobre a meditação

    Rose

    (22 de julho de 2020 - 1:18 pm)

    Mana, parabéns pela sua dedicação em transpor seus conhecimentos e compartilhando-os conosco, gratidão!

Deixe uma resposta