Muros ou pontes: O que estamos construindo?

Mais um artigo para você querido (a)  leitor (a), para que possamos juntos crescer. Assim, penso, avalio, faço uma autocrítica, para cada dia me conhecer mais e melhor. E também para que eu possa entender que pequenas atitudes, palavras positivas e ações proativas nos ajudam a sermos pessoas melhores. Eu quero ser uma pessoa melhor! Eu desejo ser um ser humano que está aqui neste plano para somar. Sou feliz estendendo uma mão se for possível estendê-la a alguém. Faz parte da minha ecologia.

Não estou aqui fantasiando, hoje falo muito de mim nesse artigo, mas falo também das pessoas que me cercam, de alguma leitura prazerosa que fiz de algum vídeo ou série que assisti. Posso até indicar algumas, que já olhei. Nelas procuro observar as relações humanas, como nos conectamos e como reagimos às diferentes intempéries de nossas vidas. Quais obstáculos nos distanciam do nosso propósito? O que estamos fazendo pelo outro? O que posso fazer mais? Eu quero fazer mais?

Quando falo das minhas ações para com outro não estou aqui falando de grandes ações e sim de toda atitude capaz de modificar positivamente por menor que seja a minha vida e a vida das pessoas que me cercam, é claro, principalmente às pessoas do nosso dia a dia. Porque são essas pessoas que fazem toda diferença em nossas vidas.  Saber  usar as palavras adequadas e estender a mão para um familiar, amigo ou conhecido e até mesmo dar um pouco do seu tempo para alguém faz toda diferença nessa nova vida que estamos. Cada vez mais precisamos nos conectar com o outro. E através de pequenos gestos podemos fazer essa conexão ou mergulhar num grande abismo. Essa conexão que falo pode levar você até seus filhos, seus irmãos, seu amigo(a) que não vê a um bom tempo. Pode ser seus pais, um colega de trabalho, sua esposa, seu marido. Se você construiu algum muro entre vocês  que agora percebe que foi num momento inoportuno, uma palavra errada, às vezes pequena, mas capaz de erguer um muro gigante, sempre é tempo de reconstrução! De reconstruir o que for necessário para que nossa vida seja mais feliz. Entenda, não falo aqui de reconstruir algo para satisfazer a vontade alheia. Falo sim, de reconstruir  o que estiver ao seu alcance e que o seu coração desejar para que muros erguidos inequivocamente e que só trazem dor e sofrimento possam ser transformados em pontes, para que haja uma reconexão com essa pessoa que você acredita que possa ainda ser alguém importante e necessária  na sua jornada.

Muitas vezes erguemos grandes e insignificantes muros em nossas vidas e em nossos corações. Esses muros trazem sofrimento desnecessário, e acabam bloqueando relações que poderiam trazer amor e felicidade em nossa caminhada. E mais uma vez, querido leitor, te convido a construir pontes em sua vida. Não que muros às vezes não sejam necessários, entendo que pessoas que te trazem sofrimentos e que não querem de jeito algum somar em sua vida, mas pode ser que nesse caso, seja importante  que você consiga fazer verdadeiras pontes com pessoas que vão somar, irradiar, vibrar na sua mesma frequência.

The following two tabs change content below.

Angelita Paixão

Master Coach certificada pela Sociedade Internacional do Mindset, cursou Programação Neurolinguística (PNL). Bióloga, empresária e escritora está trilhando sua transformação pessoal e focando também em ajudar o outro no seu crescimento pessoal.

Latest posts by Angelita Paixão (see all)

Post Author: Angelita Paixão

Master Coach certificada pela Sociedade Internacional do Mindset, cursou Programação Neurolinguística (PNL). Bióloga, empresária e escritora está trilhando sua transformação pessoal e focando também em ajudar o outro no seu crescimento pessoal.

1 thought on “Muros ou pontes: O que estamos construindo?

    Lucimara

    (27 de junho de 2021 - 11:37 am)

    Excelente seu artigo trás uma reflexão muito boa

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.