Procrastinação: hábito ou vício?

Por mais que se pense que é um mal da vida moderna, a prática já era uma realidade desde as civilizações antigas.

O ato de procrastinar, é adiar tarefas que precisam ser realizadas, pode ser consciente ou inconsciente, mas em ambos os casos, se trata de uma fuga. Porém, adiar prazos e esperar até o último instante para realizar algo, são hábitos que devem ser analisados com cautela.

Sabe aquelas tarefas que não são prazerosas ou que exigem um comprometimento maior e decisões complexas? Elas podem contribuir para a procrastinação, pois de forma geral, o cérebro humano tem preferência pela recompensa imediata. Por isso, ele reluta tanto com tarefas que prometem vantagens futuras em troca de esforços presentes.

A procrastinação é um problema comportamental, é um hábito e com o passar do tempo pode se transformar em vício. A pessoa deve ficar atenta para identificar o quanto este hábito afeta sua vida.

O autoconhecimento é um excelente caminho, para as pessoas mudarem a forma de como reagir às situações que as fazem procrastinar. Pois ao se conhecer, a pessoa identifica seus pontos fortes e os amplia, percebendo também seus pontos fracos e buscando o equilíbrio. Algumas dicas são interessantes no intuito de quebrar o ciclo da procrastinação:

  1. Tentar praticar a procrastinação ativa ou estruturada, que é aquela que consiste em postergar ou atrasar o cumprimento de uma atividade em detrimento de outra, mais urgente ou mais importante;
  2. Gerencie suas emoções, não apenas seu tempo; não espere estar com bom humor ou estar motivado para realizar a tarefa: simplesmente realize;
  3. Se organizar, pois a falta de organização pode atrapalhar muito quem sofre deste mal, porque às vezes, não sabe por onde começar;
  4. Fazer uma análise dos pontos positivos da tarefa, enxergar os benefícios que terá se for feita a tempo. Entender que a correria no final do prazo nem sempre é interessante e pode resultar também em uma entrega duvidosa;
  5. Se estimule para o cumprimento da tarefa, com pequenas recompensas: um pequeno descanso, um café, algo que o ajude a relaxar;
  6. Exercitar a autoconfiança, o medo do fracasso e de falhas podem levar a procrastinar, procure evitar o excesso de autocrítica, algumas tarefas são desafiadoras mesmo, mas faz parte do processo;
  7. Uma ferramenta muito interessante, é a visualização do “eu” no futuro. Se imaginar seguindo na situação de procrastinador, como seria? E se imaginar tomando a atitude de executar a tarefa, deixando de procrastinar, como seria? Qual o sentimento? Qual a sensação? 
  8. Descobrir qual o gatilho que estimula a procrastinação, o que provoca você a perder o comprometimento? Onde a realização da tarefa trava? Redes sociais, jogos etc… Busque um meio termo.
  9. Tente se perguntar se este hábito de procrastinar é: simplesmente porque as tarefas não são prazerosas, não são interessantes, ou tem algo mais te bloqueando? Que tipo de bloqueio acontece?

Caso o indivíduo perceba que estas dicas e ferramentas, não são suficientes para que ele consiga ultrapassar esta barreira sozinho, pois tem percebido que sua vida pessoal, profissional e o seu desenvolvimento individual têm sido afetados profundamente, prejudicando e comprometendo tudo. É ideal que busque ajuda especializada. Pois o medo, a insegurança, ansiedade, incertezas sobre o que fazer ou até um trauma, podem ter sido o gatilho, e que transformou este hábito ou vício, em uma forma de autoproteção.

Este tipo de procrastinação pode ser classificada como crônica. E precisa de tratamento. Alguns tratamentos são indicados, como a psicoterapia, PNL, hipnose e terapias de liberação emocional. Estes tratamentos irão trabalhar as memórias e emoções, ajudando a pessoa a fazer uma autoanálise de suas ações, responsabilidades e consequências.  Para que a partir da compreensão do processo, você possa descobrir suas reais habilidades e qualidades. Mudando seu comportamento, organizando primeiro sua mente e, por consequência, sua vida e rotina. E assim conseguirá viver sua realidade de forma diferente, vencendo os medos, inseguranças e incertezas.

The following two tabs change content below.

Rosângela Siqueira

Coach certificada pela Sociedade Internacional do Mindset, Especialista em Emagrecimento Definitivo e Programação Neurolinguística (PNL) aplicada ao Coaching,Formada em Comunicação Social, Administração de Empresas e pós graduada em áreas financeiras, onde trabalhou por mais de 30 anos. Dedicada aos estudos de Mecânica Quântica, Metafísica, Lei da atração, Autoconhecimento e Espiritualidade desde 2017.

Latest posts by Rosângela Siqueira (see all)

Post Author: Rosângela Siqueira

Coach certificada pela Sociedade Internacional do Mindset, Especialista em Emagrecimento Definitivo e Programação Neurolinguística (PNL) aplicada ao Coaching,Formada em Comunicação Social, Administração de Empresas e pós graduada em áreas financeiras, onde trabalhou por mais de 30 anos. Dedicada aos estudos de Mecânica Quântica, Metafísica, Lei da atração, Autoconhecimento e Espiritualidade desde 2017.

6 thoughts on “Procrastinação: hábito ou vício?

    Luiz Sá

    (12 de janeiro de 2021 - 3:53 pm)

    Parabéns Rosângela pelo artigo.
    A procrastinação é um hábito que se deixar fica poderoso e nos trava.

    Anônimo

    (12 de janeiro de 2021 - 2:26 pm)

    Parabéns pelo ótimo artigo!

    Janete da Silva Corrêa

    (12 de janeiro de 2021 - 12:59 am)

    Procrastinação é um dos piores hábitos que podemos ter, inimigo do sucesso. Gostei muito do artigo. Parabéns.

    ALICE CRISPIM DA SILVA

    (11 de janeiro de 2021 - 9:29 pm)

    Parabéns Rosangela pelo tema abordado, muito interessante e desafiador para o ser humano

    Anônimo

    (11 de janeiro de 2021 - 11:35 am)

    Um hábito muito corriqueiro e que a maioria das pessoas têm. Começar mudando pequenos hábitos e executando pequenas pendências tbm são muito boas para muda-lo e depois passar a fazer grandes coisas, que talvez sejam mais difíceis. Parabéns pelo artigo. Excelente tema.

    Rose Mary Sá

    (11 de janeiro de 2021 - 11:21 am)

    Parabéns pelo artigo. Essa é uma das grandes difículdades das pessoas. Gratidão por compartilhar.

Deixe uma resposta