ASSERTIVIDADE

Definição de assertividade: 

  • Declarar ou afirmar algo de maneira positiva, direta e vigorosa.
  • Habilidade de afirmar meus direitos pessoais, sentimentos e crenças de modo direto, honesto e apropriado, não violando o direito dos outros.

O comportamento assertivo não leva em conta somente o que você diz, mas também como você diz.

Numa linguagem corporal  assertiva você mantém contato direto com os olhos e mantém uma postura ereta. Fala claramente, distintamente, sem queixas e lamúrias. Usa expressões faciais e gestos que dão ênfase às suas palavras.

A assertividade objetiva equilibra o poder e não é um jogo de ganha X perde, para espezinhar o outro. Envolve expressar seus direitos pessoais. Tendo como base principal saber que seu  direito termina quando começa  o do outro.

Usando de assertividade se abre um caminho de relações honestas com as outras pessoas.

COMPORTAMENTO AFIRMATIVO:  resposta adequada no sentido de transmitir o que a pessoa deseja comunicar de modo a preservar o seu auto-respeito, bem como o respeito à outra pessoa envolvida no relacionamento.

COMPORTAMENTO NÃO ASSERTIVO:  impossibilidade da pessoa se expressar de modo aberto, direto e honesto. Calar-se, omitir-se da defesa de seus direitos evitando situações onde precisa expressar o que pensa e sente – Frustração.

COMPORTAMENTO AGRESSIVO:  envolve a defesa dos seus direitos e a expressão de seus pensamentos e sentimentos de modo inapropriado, desonesto e socialmente inaceitável, violando o direito dos outros – Irritação, Mágoa.

CINCO LIBERDADES

1. A LIBERDADE DE VER E OUVIR O QUE ESTÁ AQUI.

2. A LIBERDADE DE DIZER O QUE SENTE E O QUE PENSA.

3. A LIBERDADE DE SENTIR O QUE SE SENTE.

4. A LIBERDADE DE PEDIR O QUE QUER.

5. A LIBERDADE DE CORRER RISCOS PARA SEU PRÓPRIO INTERESSE.

CARACTERÍSTICAS DA RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS

  NÃO ASSERTIVO É permitir que outras pessoas tratem você, seus pensamentos e sentimentos da forma que quiserem , sem que você os desafie. Significa fazer o que os outros querem que você faça, apesar de seus próprios direitos.      ASSERTIVO É pensar e agir de forma que defenda seus direitos pessoais legítimos. É o ato de dar expressão aos seus próprios pensamentos e sentimentos de forma que defina suas próprias perspectivas humanas sem subtrair os direitos legítimos dos outros.  AGRESSIVO É defender o que você quer, sem se importar com os direitos e sentimentos dos outros. A agressão pode ser física ou verbal.
  O problema é evitado.    O problema é atacado.  A pessoa é atacada.
  Seus direitos legítimos são renunciados (desiste).    Seus direitos legítimos são reclamados.  Seus direitos legítimos são reclamados.
  Vê os direitos dos outros como superiores aos seus.      Reconhece os direitos dos outros como iguais aos seus.  Vêm seus direitos como superiores aos direitos dos outros.
  Estabelece um padrão em que os outros tiram proveito de você (abusam).    Estabelece um padrão de respeito para assuntos futuros.  Estabelece um padrão de MEDO de evitar o agressor.  
  Deixa que os outros adivinhem como você se sente e pensa.    Deixa os outros saberem como você se sente e pensa.  Deixa a outra pessoa saber como se sente.
  Espera que as metas sejam atingidas.      Trabalha em direção às suas metas.  Trabalha em direção às suas metas.
Deixa que os outros escolham atividades para você.  Escolhe atividades para si próprio.Escolhe suas próprias atividades e as atividades dos outros.
Acumula raiva e ressentimento.  Lida com a raiva.Age a raiva.
Fala com os outros com respeito apenas pela outra pessoa.Fala com os outros com respeito por aquela pessoa e por si próprio.Fala com os outros com respeito a si próprio apenas.    
Falta de confiança.      Confiante. Usa o pronome “eu”. É uma expressão apropriada de seus próprios sentimentos e opiniões.Arrogante, hostil.

O PREÇO DE SER BONZINHO

O comportamento de “ser bonzinho” eventualmente tem um “preço” tanto para a pessoa boazinha quanto para as pessoas que estão envolvidas com ela. Causa isolamento, hostilidade indireta e autodestruição, porquê:

1.         O “bonzinho” tende a criar uma atmosfera tal que os outros evitam lhe dar feedback honesto e sincero. Isso bloqueia o equilíbrio emocional.

2.         O comportamento “bonzinho” acabará trazendo desconfiança aos outros. Isto é, gera uma sensação de incerteza e falta de confiança nos outros, que por sua vez, nunca tem certeza se serão apoiados pelo “bonzinho” em uma situação de crise que exija um confronto agressivo com outros.

3.         “Pessoas boazinhas” impedem o crescimento das outras. Elas evitam dar feedback sincero às pessoas e não dão oportunidade de que os outros sejam assertivos com um indivíduo real, que busca seus direitos. Isso tende a forçar aqueles com quem se relacionam a voltar sua agressão contra si próprios. Também tende a gerar sentimentos de culpa e depressão nos que estão intimamente envolvidos e dependentes delas.

4.         Devido a sua “bondade” crônica, nunca se sabe se o relacionamento com a pessoa “boazinha” vai suportar um conflito ou sustentar um confronto irado, caso esse aconteça espontaneamente. Isso coloca limites no potencial de intimidade no relacionamento, pois coloca as pessoas, constantemente, na defensiva.

5.         Não se pode confiar no comportamento “bonzinho”. A pessoa “boazinha” periodicamente explode em uma raiva inesperada e aqueles que estão envolvidos ficam chocados e despreparados para lidar com isso.

6.         O “bonzinho” por conter sua agressão dentro de si, pode pagar um preço fisiológico sob a forma de problemas psicossomáticos e um preço psicológico sob a forma de isolamento. 7.         O comportamento “bonzinho” é um comportamento emocionalmente irreal. Coloca sérias limitações em todos os relacionamentos, e em última análise, a vítima é o próprio “bonzinho”.

The following two tabs change content below.

Welodimer Neustadter

Master Coach certificado pela Sociedade Internacional do Mindset. Formação em psicologia e sociologia. Curso de especialização em Hipnose clínica. Trabalha há 31 anos ajudando as pessoas a se transformarem e melhorarem a sua qualidade de vida. Atuando principalmente na área de comportamentos compulsivos: Alcoolismo, tabagismo e compulsão alimentar.

Latest posts by Welodimer Neustadter (see all)

Post Author: Welodimer Neustadter

Master Coach certificado pela Sociedade Internacional do Mindset. Formação em psicologia e sociologia. Curso de especialização em Hipnose clínica. Trabalha há 31 anos ajudando as pessoas a se transformarem e melhorarem a sua qualidade de vida. Atuando principalmente na área de comportamentos compulsivos: Alcoolismo, tabagismo e compulsão alimentar.

11 thoughts on “ASSERTIVIDADE

    Angelita Paixão

    (23 de dezembro de 2020 - 12:19 pm)

    Muito esclarecedor esse artigo, importante compreendermos esses conceitos. Parabéns Welodimer.

    Anônimo

    (17 de dezembro de 2020 - 10:45 pm)

    Parabéns, texto fantástico.

    Lucimara Pereira

    (16 de dezembro de 2020 - 7:27 pm)

    Parabéns seu artigo é muito bom muito esclarecedor

    maria.tereza.peres1961@gmail.com'

    Maria Tereza Peres

    (16 de dezembro de 2020 - 6:28 pm)

    É bom conhecer a característica de cada modo de ser . Parabéns pelo seu artigo.

    bailarinakel@gmail.com'

    Kellen Melo

    (16 de dezembro de 2020 - 3:54 pm)

    A assertividade é importante em muitas fases da nossa vida, ainda não tinha parado pra pensar sobre ela. Muito interessante essa informação. Parabéns pelo artigo!

    Anônimo

    (16 de dezembro de 2020 - 2:10 pm)

    Realmente as palavras tem poder, muito bem colocado a forma como nos expressamos muitas vezes tem profundo impacto sobre outros. Parabéns ótimo texto!

    Anônimo

    (16 de dezembro de 2020 - 12:23 pm)

    A eterna busca pelo equilíbrio e a sensatez. Obrigada pela reflexão!

    Luiz Sá

    (16 de dezembro de 2020 - 12:14 pm)

    Parabéns Welodimer, este artigo me trouxe uma grande reflexão sobre a síndrome do bonzinho e as consequências que pode prejudicar o próprio desenvolvimento e de outras pessoas.
    Gratidão 🙏

    luanalnmonteirom@gmail.com'

    Dra. Luana Monteiro

    (16 de dezembro de 2020 - 11:53 am)

    Muito interessante. Nunca tinha visto essas diferenças. Super esclarecedor e enriquecedor. Parabéns.

    Janete da Silva Corrêa

    (16 de dezembro de 2020 - 11:39 am)

    Muito interessante este artigo. Mudança de comportamento. Parabéns

    Rose Mary Sá

    (16 de dezembro de 2020 - 11:27 am)

    Esse artigo vai ajudar muitíssimo as pessoas, a mudar seus comportamentos. Parabéns! Um abraço.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.