O que a dor representa para você?

Segundo o dicionário da língua portuguesa, a dor tem diversos significados:

  • Sensação corporal penosa classificada pelo seu tipo, caráter, intensidade e ocorrência;
  • Mágoa: um sofrimento provocado por uma decepção, como por exemplo devido à morte de alguém, ou à uma tragédia;
  • Compaixão: ter piedade de si mesmo ou do sofrimento de outra pessoa;
  • Expressão de um sofrimento, de uma tristeza física ou moral no sentido figurado.

De acordo com uma pesquisa realizada pela Sociedade Brasileira para o Estudo da Dor (SBED), cerca de 37% da população brasileira sofrem de dores crônicas, que são aquelas que persistem por mais de 3 a 6 meses.

Apesar de ocasionar bastante incômodo e ser, por vezes, desagradável e até incapacitante, a dor desempenha um importante papel no nosso corpo: serve de alerta para que saibamos que algo nocivo está acontecendo com nosso organismo.

E como isso acontece?

Existem estruturas localizadas em nossa pele, ossos e músculos responsáveis por captar estímulos dolorosos, sejam eles químicos, térmicos ou mecânicos, denominados nociceptores. Estes então, enviam essa mensagem para o nosso cérebro, por meio de impulsos elétricos, conduzidos pelas fibras nervosas, a qual é processada no nosso córtex, que manda como resposta, uma ação de proteção que pode ser de afastamento da origem da dor, no caso de agentes externos.

Então, até agora entendemos um pouco do processo físico e científico da dor, mas a sensação e a interpretação dela é subjetiva, depende de cada indivíduo e de como ela interfere na vida da pessoa.

A reflexão que eu trago aqui é: o que você deixa de fazer por conta de uma dor articular ou muscular? Você deixa de trabalhar ou de produzir? Você acaba não indo a uma festa ou um evento? Você não consegue brincar com seu filho ou pegá-lo no colo, por conta de uma dor lombar, por exemplo? Ou você não realiza aquela atividade física ou hobby que você tanto gosta?

E o quanto vale sua saúde e bem-estar?

A dor representa um dos principais motivos para as pessoas buscarem serviços de saúde, e a fisioterapia desempenha significativo papel nos cuidados do paciente com dor.

Podemos dizer que o fisioterapeuta atua no manejo da dor, intervindo de maneira física e cognitiva comportamental, buscando o seu controle e a sua recuperação funcional, permitindo ao paciente o retorno às suas atividades diárias e a melhora da qualidade de vida.

Por isso, nesses anos de trabalho com a fisioterapia manual, eu percebi o quanto a dor atrapalhava e limitava as pessoas, e eu acredito que ninguém merece viver com dor, e nem muito menos deixar de fazer aquilo que se tem vontade e que traz felicidade.

Assim, eu percebi que poderia contribuir para o mundo, impactando positivamente na vida das pessoas, promovendo o alívio imediato de dores na coluna, proporcionando mais saúde, bem-estar e qualidade de vida.

Pois fisioterapia não é só reabilitação. esta é a ciência do movimento, é usar o movimento para curar, para analgesiar, recuperar e prevenir. Movimento é vida, e nós seres humanos fomos criados para nos mexer, para nos impulsionar, para irmos em frente, e não para sermos parados por uma dor.

Isso é o que me faz acordar todos os dias, poder ajudar as pessoas a terem liberdade de escolhas, entendendo o que aquela dor representa na vida delas, tendo empatia e compaixão, ressignificando e tornando a vida mais leve. Então, depois me conta aí nos comentários, o que você deixa de fazer por conta de uma dor? O que te faz acordar todos os dias? Até o próximo post!

The following two tabs change content below.

Luana Monteiro

Coach pela Sociedade Internacional do Mindset, graduada em Fisioterapia pela Unifor, pós graduada em Osteopatia Clínica pela Unicastelo e formação em Reeducação postural global – Rpg reposturarse. O seu trabalho tem como objetivo ajudar as pessoas a desenvolverem o seu Mindset, ressignificando crenças e acreditando em si, e a buscarem hábitos mais saudáveis focando na promoção da saúde.

Latest posts by Luana Monteiro (see all)

Post Author: Luana Monteiro

Coach pela Sociedade Internacional do Mindset, graduada em Fisioterapia pela Unifor, pós graduada em Osteopatia Clínica pela Unicastelo e formação em Reeducação postural global – Rpg reposturarse. O seu trabalho tem como objetivo ajudar as pessoas a desenvolverem o seu Mindset, ressignificando crenças e acreditando em si, e a buscarem hábitos mais saudáveis focando na promoção da saúde.

Deixe uma resposta